Pages

Páginas

Featured Posts

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Sem mandato, José Sarney deve assumir cargo em eventual governo de Aécio Neves

Maranhão em Foco
Comandado por quase 50 anos pelo a família Sarney, o Maranhão possui alguns dos piores indicadores sociais do Brasil. Parte de sua população sobrevive do Bolsa Família, carro - chefe social do governo Lula e agora utilizado como vitrine pela presidente Dilma.

Segundo dados do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), mais de 753 mil famílias maranhenses recebem o benefício, somado o total chega a quase 3,2 milhões de pessoas, o que corresponde a 50% da população do estado.

Agora o presidenciável Aécio Neves (PSDB) afirma que manterá o programa social, Dilma o ataca com suas afirmações do passado a respeito do beneficio, nada favoráveis.  Bolsa Família já chegou a ser classificado como "Bolsa Esmola". 

Por meio do horário eleitoral, retransmitido também por TV Local para os maranhenses que não possuem antena parabólica, os beneficiários sabem que não há possibilidade do programa ser encerrado e por isto planejam votar em Aécio Neves, neste segundo turno.

O que se ver são alegações de que com o PT fora do governo, automaticamente Sarney/Lobão também estarão fora, um grande engano. 

Aécio Neves apoiou Flávio Dino no primeiro turno, juntos chegaram a inaugurar um comitê em Imperatriz, porém o agora governador eleito se manteve neutro. Neste segundo turno, o partido de Flávio, PC do B, segue com Dilma, o diretório estadual já declarou seu apoio a presidente. 

Dino, porém não se manifesta oficialmente, e se recusou a participar de uma reunião organizada pelo o PT com governadores eleitos ligados ao partido, o objetivo do ato era mostrar forças. 

Eduardo Campos, ex-candidato a presidência pelo o PSB, partido que agora apoia Aécio, sempre afirmou, inclusive em Timon, que Sarney estaria totalmente fora de seu governo, ele ficaria na oposição. Sarney reagiu e disse: não serei oposição, Campos não será presidente. O senador acertou, Eduardo morreu após o avião em que se encontrava cair. 

Marina Silva virou a candidata do partido, e excluiu qualquer possibilidade de Sarney participar do seu governo. Aécio Neves, porém nunca fez uma declaração contraria ao Senador, mesmo apoiando Flávio Dino no primeiro turno, talvez o motivo para aliança, seja o fato de que o PT já era aliado de Sarney na disputa estadual. 

A verdade é que quem vota em Aécio acreditando que fará uma mudança completa, elegendo Flávio Dino e o candidato a presidente, está redondamente enganado. Neves deverá governar aliado com todas as velhas raposas políticas, incluindo Sarney e Renan Calheiros. Aécio e José Sarney são amigos, como mostram as fotos que ilustra este post, conversam a pé de ouvido. 

O senador ficará sem mandato, ele não disputou a reeleição e sem nunca saber o que é ser oposição na vida pública, estando sempre ao lado do governo, apesar de não beneficiar o Maranhão com isto, Sarney já tem espaço garantido se o PT perder, o mesmo deve assumir um cargo em eventual governo de Aécio Neves. Político sem mandato, vale pouco ou nada, mas isto não se aplica a Sarney, um homem que andou com militares quando governaram o país, sabem o caminho das pedras. Ele deve receber a tarefa de ser um dos articuladores do governo, mas segundo o apurado,  pode ser também um ministério. 

A verdade é que nem um dos dois candidatos a presidência representa a mudança, a era PSDB é uma parte da história do Brasil que muitos anciões torcem pra nunca mais voltar, a começar pela a alta inflação. Já o governo do PT, apesar dos avanços com mais programas, fracassou. O partido viu seu alto clero ir pra cadeia no escândalo do mensalão. A Petrobrás teve milhões sugados dos seus cofres, inclusive para pagar pessoas que chantageavam os membros da sigla, ameaçando jogar Lula, que diz não ter conhecimento sobre os crimes, no centro das falcatruas. 

Como o voto é obrigatório e você precisa votar, faça um favor a si mesmo, vote em branco.

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Presidente Estadual do PSB, Luciano Leitoa fala sobre apoio do partido ao candidato Aécio Neves

Prefeito Luciano Leitoa e Senador Roberto Rocha, em reunião que definiu
apoio do PSB a Aécio Neves/ Foto/Divulgação
Marina Silva não conseguiu criar a tempo o seu partido, rede, por conta disto se filiou ao PSB. O partido já tinha candidato, Eduardo Campos, que morreu de forma inesperada após o avião em que estava cair. 

Marina então se tornou a candidata oficial e teve como vice Beto Albuquerque. As pesquisas apontavam a agora ex-presidenciável com um crescimento espantoso, chegando a derrotar a presidente Dilma no segundo
Aécio Neves e Campos sempre mantiveram boas relações/Foto/
Roberto Pereira
turno. 


Mas logo em seguida a mesma começou a cair, fato que a própria Marina atribui ao ataque dos seus então dois principais adversários, a candidata do PT e Aécio Neves. 

O PT levou ao ar durante a propaganda eleitoral, inserções em que pratos de comida sumiam da mesa de uma família enquanto bancários sorriam alegres. Um ataque a proposta de Marina de dar mais autonomia ao Banco Central. 

O PSDB a taxou de mentirosa e se posicionou sempre como a verdadeira mudança. O efeito pode ser visto nos resultados da eleição presidencial, Marina que aparecia bem posicionada, ficou na terceira posição quando se abriu as urnas. Com mais de 20 milhões de votos, a ex-candidata não chegou ao segundo turno. 

Mas o PSB não poderia ficar neutro, e para tanto sua comitiva nacional se reuniu e com 26 votos a favor e 6 pela a neutralidade, o partido declarou apoio a candidatura de Aécio Neves. A reunião durou mais de duas horas. 

Do Maranhão, participou o presidente estadual da sigla e prefeito de Timon, Luciano Leitoa e o senador eleito na chapa do novo governador Flávio Dino, no último dia 05, Roberto Rocha. Antes mesmo da decisão oficial, ambos já defendiam o apoio do partido à Aécio Neves. 

Para Luciano Leitoa e Roberto Rocha, a ida do PSB com PSDB significa continuar em busca da mudança, pregada pelo saudoso Eduardo Campos. Luciano se disse ainda disposto a contribuir para eleição de Aécio Neves. Seus candidatos a governador e senador venceram na cidade da qual é prefeito, vitória, em parte, atribulada ao esforço do grupo político do gestor. 

Já o novo governador do Maranhão, Flávio Dino, seguirá com a presidente Dilma. No primeiro turno o comunista esteve com Aécio Neves, juntos chegaram a inaugurar um comitê de campanha em Imperatriz. Mas o PCdoB, partido de Flávio Dino, é aliado da candidata do PT, por tanto o diretório estadual já declarou apoio a Dilma, e isso implica o apoio de Dino. 

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Eleição municipal de 2016 já está em pauta em Açailândia...

Prefeitura de Açailândia já entrou em pauta... 
Querendo ou não, após estas eleições, a eleição municipal de Açailândia entra em pauta. Sim, políticos de Açailândia que disputaram vagas de deputados e foram bem votados, se preparam pra disputar a prefeitura em 2016. Entre eles, dois se destacam: Juscelino Oliveira e Jeová Alves.

O primeiro foi candidato a deputado estadual, apesar de não alcançar a vaga, sagrou-se como o primeiro mais votado no município e mostrou que ainda tem força. Jeová Alves, ex-prefeito de Açailândia, foi um que se chama de "efeito fênix", ressurgiu das cinzas. 

Ele foi candidato a deputado federal, e obteve mais de dez mil votos, sendo o primeiro mais votado. Um cacife respeitável para quem até então estava fora do cenário politico. Tanto Juscelino Oliveira quanto Jeová Alves pretendem se eleger prefeito, e se liberados por seus grupos, serão uma pedra no sapato de quem busca a reeleição.

Alguns leitores podem perguntar por Sergio Vieira e Pr. Cavalcante, estes o Blog deixou fora. Primeiro porque Sergio não conseguiu sequer uma suplência. Foi o que esta coluna já havia dito quando a péssima coordenação de campanha do candidato anunciava que analistas o apontava como eleito. Não passava de uma grande mentira e se cumpriu,  não foi eleito. Simples assim. 

Já Pr. Cavalcante mostrou-se ser um homem sem palavra ao longo da campanha. Mudou de federal, assim como o titular muda de camisa. Esteve com Paulo Marinho Junior, que fracassou mesmo dizendo ter 10 milhões pra gastar, esteve com Cleber Verde e outros mais. Usou e abusou da igreja, levou para o púlpito Lobão Filho, mas esteve o tempo todo com Flávio Dino. 

O Pastor também teve sua campanha manchada por uma suposta mala preta operada para beneficiar sua campanha. A mala teria sido apreendida com vários notas de vinte reais e santinhos do candidato. Uma história que ainda está sendo apurada pelo o Blog. 

Gleide Santos, claro, estará com a maquina e tem ainda dois anos para fazer um bom governo. Dr. Benjamin, um médico jovem da cidade, também estuda ser candidato. E o respeitado ex-prefeito Ildemar Gonçalves pode vim a ser candidato também... 

O pau vai quebrar, não me refiro ao que existe na entrada de Açailândia, colocado pelo o citado ex-prefeito, esse nunca quebrou...

Roberto Rocha vai à Brasília para definir posição do PSB no 2º turno das eleições

Luis Cardoso
kk
O senador eleito, Roberto Rocha (PSB), viajou nesta terça-feira (7), para Brasília para participar de um encontro com Marina Silva e Beto Albuquerque, candidatos a presidente e vice, pelo seu partido, que ficaram na terceira posição do voto do eleitorado, com mais de 20 milhões de votos.

Durante o encontro, que reunirá todo o colegiado, vai ser definida a posição do PSB no segundo turno da eleição presidencial. A discussão permeará desde a tese da neutralidade – como Marina se comportou na eleição de 2010 – até um decidido apoio a um dos dois candidatos que vão disputar o segundo turno – Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB).
Para Roberto Rocha, o PSB deveria apoiar Aécio Neves, pois é uma forma de continuar no passo da mudança manifestada nas ruas e nas eleições do último dia 5 de outubro. Ontem, 6, o senador eleito, manifestou, em seu perfil pessoal no Facebook, o seu desejo:
“NÃO VAMOS DESISTIR DO BRASIL”
“Como esperado, a maioria do povo brasileiro votou pela mudança. Cumprimento os companheiros Marina Silva e Beto Albuquerque pela bela campanha e pelos mais de 22 milhões de votos. Agora, no segundo turno, o povo brasileiro espera que todos nós que lutamos pela mudança sigamos em frente para construir um novo caminho ou, pelo menos, uma nova forma de caminhar. Vamos reunir o PSB, para discutir, decidir e anunciar a posição do partido, que espero que seja em sintonia com a vontade do nosso saudoso Eduardo Campos. Eu não vou desistir do Brasil.”

Jeová Alves “ressurge das cinzas” e tem votação histórica em Açailandia

Jeová-Alves-1O empresário e ex-prefeito Jeová Alves que a mais de dez anos estava fora da política, ressurge das cinzas como candidato a deputado federal pelo Partido Social Liberal (PSL) e tem votação histórica.
Em apenas dezoito dias de campanha, ele conseguiu o incrível resultado de 10.755 votos, se tornando o candidato a deputado Federal mais bem votado, em Açailândia
Segundo o empresário, o resultado seria ampliado se adversários não tivessem atacado o mesmo através de meios de comunicação.
Quando perguntado sobre o porquê de ter feito apenas dezoito dias de campanha, Jeová Alves respondeu que estava primeiro resolvendo sua pendência na justiça eleitoral, justamente para evitar desgastes e falatórios por parte de seus adversários, o que acabou acontecendo.
Votos do Jeová












O ex-prefeito acrescentou ainda que não tem nada lhe impeça de ser candidato a nenhum cargo, inclusive de prefeito em 2016, caso seja essa a decisão de seu grupo político.
“Se tivesse feito o mesmo tempo de campanha que meus concorrentes, podem ter certeza que o resultado seria mais surpreendente ainda”, finalizou.

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Bancários do MA encerram greve da categoria

Os bancários do Maranhão realizaram, hoje (6), uma nova assembleia geral, na sede do Sindicato dos Bancários (Seeb-MA), para decidir os rumos do movimento grevista. De acordo com informações do presidente do Seeb-MA, José Maria Nascimento, os sindicalistas decidiram acatar a orientação do Comando Nacional dos Bancários e encerrar a greve, que durou seis dias.
Os bancários do Banco da Amazônia e Banco do Nordeste continuarão em greve após os funcionários rejeitarem as propostas negociadas por considerá-las "insuficientes". A decisão acompanha o deliberado nas cidades onde os dois bancos estão sediados: Belém (PA) e Fortaleza (CE), respectivamente. As demais instituições financeiras privadas, Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil retornam às atividades a partir desta terça-feira (7). O Seeb-MA informou, também, que decisão local em encerrar a greve acompanha a deliberação da maioria dos sindicatos, que também realizaram assembleia na noite desta segunda-feira.
Na nona rodada de negociações, realizada na última sexta-feira (3), a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) apresentou proposta de reajuste de 8,5% nos salários (ganho de 2,2% em cima do valor atual), 9% de aumento no piso salarial e 12,2% no vale-refeição. Com a proposta, os bancários teriam um reajuste real de 2,49% acima da inflação e os salários passariam de R$ 1,6 mil para R$ 1.796,45.
Os bancários maranhenses estão em greve desde a última terça-feira (30), quando, em assembleia da categoria, decidiram iniciar a paralisação por tempo indeterminado, acompanhando a greve nacional dos bancários. Os funcionários dos bancos exigem, dentre outros pontos de pauta, reajuste salarial de 12,5%, reposição de perdas salariais, contratação de novos bancários, isonomia e fim das demissões imotivadas. 
A exigência dos bancários, inicialmente, era de R$ 2,9 mil de reajuste que tinha como base o piso sugerido pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), instituto que fornece pesquisas e assessora o movimento sindical brasileiro.

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

TSE já julgou 95% dos processos de candidaturas

Divulgação


BRASÍLIA - Os Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) não têm mais nenhum processo sobre registro de candidatura pendente. Já o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) conseguiu julgar 95% das demandas recebidas, conforme informou nesta sexta-feira (3) o presidente do TSE, ministro José Antonio Dias Toffoli. Segundo ele, eventuais pendências deverão ser julgadas ainda este mês.
“Já votamos mais de 95% dos processos. Os TREs votaram todos. Com isso, as candidaturas estão praticamente decididas. Havendo algum rescaldo, será mínimo e analisado e julgado em outubro”, salientou o ministro, momentos antes de fazer uma palestra para representantes de 21 países e organismos internacionais que estão no Brasil para acompanhar as eleições de domingo (5).
Toffoli não fez previsões sobre o tempo que o tribunal levará para concluir a apuração dos votos, mas garantiu que o pleito está bem organizado. “Não há competição [em termos de prazos com as eleições anteriores]. Vamos fazer um bom trabalho”, ressaltou.
“As eleições passadas foram muito tranquilas. Em apenas duas localidades tivemos necessidade das cédulas de papel, em [um universo de] mais de 500 mil seções. É um sucesso. Estamos preparados para que todos os eleitores possam votar em urnas eletrônicas”, acrescentou o ministro.
Indagado sobre ações do PSB e PSDB contra a campanha à reeleição da presidenta Dilma Rousseff, por suposto uso indevido dos Correios, Dias Toffoli disse que a questão ficará a cargo da relatoria no TSE.
“O relator ouvirá a parte contrária. Depois, [o processo] será levado a plenário para julgamento, podendo ser [julgado] depois do segundo turno”, informou o ministro.